Arquivos do Blog

Feliz dia da Toalha, do Orgulho Nerd, e da Análise de Time, Gentlemen, Please!

Hoje é um dia de orgulho para qualquer um que se denomeie nerd, geek ou simplesmente excêntrico. É o Dia do Orgulho Nerd, que começou a ser comemorado em 2006 e acontece nessa data por causa de ter sido o dia da premiére do primeiro Star Wars, e o Dia da Toalha, comemorado desde 2001 em homenagem ao falecido Douglas Adams.

E portanto, para comemorar a ocasião, uma análise nova: Time, Gentlemen, Please! (note que eu disse nova, mas não disse que o game é necessariamente bom).

Ok, ok, eu já tinha agendado lançar a análise de qualquer forma, independentemente da data. Só coincidiu.

Isso é tudo.

Sério, você pode parar de ler agora, eu não tenho mais nada pra dizer.

Ah, saco, ok, ok.

Um colonizador português encontrou um índio e disse:
-8π.
O índio não respondeu, então ele disse:
-18π.

Pronto. Eu vou pra cama.

E Tem Outra Coisa… – Por Eoin Colfer

Provavelmente alguns de vocês já devem ter se perguntado: “Por que será que o endereço do blog do Diego, aquela perfeição máscula, é diegomachado42? De onde saiu esse 42?”. Bem, quem já formulou teorias de que alguém que eu conheço nasceu em 1942, ou que é uma senha secreta, pode esquecer. Na verdade, se você digitar “42” no Google, vai descobrir de cara: é por causa da minha série de livros de humor preferida, O Guia do Mochileiro das Galáxias.

O Guia do Mochileiro das Galáxias, no original The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy, é uma série de ficção científica criada por Douglas Adams, originalmente um programa de rádio de 1978, posteriormente adaptada para outros formatos como a série de cinco livros, e um filme em 2005.

O livro conta a história de Arthur Dent, um típico inglês que, num dia que pode ser considerado tudo menos típico, descobre não só que Ford Prefect, um de seus melhores e únicos amigos, é um extra-terrestre, mas também que a Terra está prestes a ser destruída pelos Vogons (uma raça alienígena extremamente burocrática e mal-vista em toda a Galáxia) para dar espaço a uma nova via intergaláctica.

Com a ajuda de Ford, Arthur foge momentos antes da demolição do planeta, pegando carona clandestinamente em uma das espaçonaves Vogons.

Assim começa a jornada de Arthur Dent e Ford Prefect pelo Universo em busca da Pergunta Fundamental da Vida, do Universo e Tudo Mais, sempre guiados por um fantástico livro de viagens: O Guia do Mochileiro das Galáxias.

A série teve 5 livros publicados: “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, “O Restaurante no Fim do Universo”, “A Vida, o Universo e Tudo o Mais”, “Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes”, e “Praticamente Inofensiva”.

Essa grande série de humor foi feita por Douglas Noël Adams, um escritor e comediante britânico, famoso também por ter escrito esquetes para a série televisiva  do Monty Python (do qual eu já falei aqui no blog faz um tempo).

Infelizmente, Douglas Adams teve um ataque cardíaco e morreu em 2001, antes que pudesse concluir o sexto livro da série, que se chamaria “O Salmão da Dúvida”.

Mas eis que uma novidade chegou aos meus ouvidos por meio do Lucas: o sexto livro está terminando de ser escrito e chega em outubro.

d_adams_zumbi

Não, o Douglas Adams não voltou dos mortos. O caso é que Eoin Colfer, autor da série de livros Artemis Fowl, confessou ser um grande fã dos livros do Mochileiro das Galáxias, e anunciou que tinha resolvido continuar escrevendo a série de onde Adams parou. O próximo livro se chama “And Another Thing…” (o que provavelmente vai ser traduzido para “E Tem Outra Coisa…”) e chega no Brasil em outubro. Já está sendo chamado de “parte 6 de 3” (a série era pra ser originalmente de 3 livros, mas Douglas Adams resolveu  Agora resta saber se vai ser um bom livro, e se fará jus à “trilogia de cinco livros” de Adams.

Mas ainda assim, tem outro livro da série que eu gostaria muito de ler. Vejam bem, quando Adams morreu em 2001, seus amigos reuniram os manuscritos e rascunhos para o sexto livro e publicaram “O Salmão da Dúvida”. Infelizmente, o livro não foi lançado no Brasil, e aparentemente nem vai ser, o que significa que se eu realmente quiser ler vou ter que encomendar a versão em inglês pela Amazon e gastar uma fortuna no processo. Então, é melhor eu me contentar por hora com o “E Tem Outra Coisa”, ou começar a ler “Dirk Gently”, a outra série de livros de sucesso que Adams escreveu. Enquanto nada disso acontece, Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes!

 

%d blogueiros gostam disto: