Batman: Arkham Asylum

Bem, durante as últimas duas semanas, eu estive jogando Batman: Arkham Asylum, um game lançado no mês passado pela Eidos Interactive e pela Rocksteay Studios. Mas antes de começar a fazer a tão aguardada análise sobre o jogo, eu quero dedicar um parágrafo ou dois a outra coisa: o PhysX, da Nvidia.

Para aqueles que não sabem o que diabos é isso, o Physx é um recurso não muito velho feito pela Nvidia para simular efeitos de física, como tijolos quebrando, pano rasgando, ou simplesmente folhas voando. O problema é que, e eu tenho certeza que esse comentário não vai ser bem aceito, esse negócio é pesado pra burro. Por favor me dêem licença enquanto eu tento sair da lama que os leitores lançaram em mim após lerem esse comentário. O que eu quero dizer é que o Physx só é bem aproveitado por computadores que tenham uma placa de física (que é absurdamente cara, além de ter um péssimo custo-benefício), ou uma placa de vídeo de última geração com física integrada, que também não é nem um pouco barata. Tudo isso para conseguir alguns efeitos que não são essenciais para fazer com que o jogue funcione e seja bonito. Sim, com certeza fica mais bonito, mas pagar 800 reais por uma placa de vídeo nova só para ver as folhas de jornal no chão se levantarem quando o Batman passa por cima, ou os azulejos quebrarem quando um capanga do Coringa é nocauteado e cai com tudo no chão, não é exatamente a minha idéia de mundo com um grau mínimo de sanidade.

Aqui, dê uma olhada se você não sabe direito do que eu estou falando:

De qualquer forma, o que eu realmente estou querendo dizer aqui é: parabéns, Nvidia, vocês conseguiram fazer um programa que pode simular os efeitos que a gravidade e os materiais provocam na vida real. Sim, nós entendemos que vocês não têm mais muito para se expandir no quesito qualidade de vídeo, então estão querendo compensar com essa nova tecnologia, provando que também conseguem marcar presença no mercado de simulação onde estão o Havok, o Euphoria e o Digital Molecular Matter. Agora por favor parem de tentar se exibir e comecem a se concentrar naquilo que queremos que vocês façam: gráficos melhores e placas de vídeos fortes para aguentá-los. E se vocês realmente insistem em continuar com o PhysX, façam ele ser mais leve, pelo amor de Deus. E parem de fazer tanta propaganda sobre a maldita coisa, porque senão eu fico olhando para o meu computador com nada na cabeça além de mandá-lo para o ferro-velho e comprar um novo.

OK, esse assunto está terminado. Agora, para algo completamente diferente (só que não):

Sabe, para um jogo com tantos supervilões, a capa não tem muita criatividade...

A história de Batman: Arkham Asylum é basicamente a seguinte: depois de mais uma perseguição, o Batman consegue prender o Coringa (de novo) e o leva para o Asilo Arkham (um cenário constante nas histórias do Batman, que além de ser um manicômio é também para onde os supervilões são levados presos. Então, alguns minutos depois de entrar no asilo, o Coringa consegue escapar (de novo) e liberta todos os criminosos que estão presos lá. Isso inclui alguns arquiinimigos bem conhecidos, como o Espantalho, a Hera Venenosa, a Arlequina, o Charada, Bane, e alguns não tão conhecidos, como Victor Zsasz e Killer Croc.

Vamos, antes de mais nada, falar dos vilões um por um:

Coringa: Muito bem planejado. Se Heath Ledger foi o melhor Coringa do cinema, esse foi o melhor Coringa dos games. Ele realmente passa a impressão de ser mentalmente alterado, um psicopata que gosta de ver tudo com um sorriso no rosto. A única coisa que eu tenho a reclamar é que, como eu tenho que colocar todas as configurações gráficas do jogo praticamente no mínimo, as texturas baixas impediam que eu visse a íris e a pupila dos olhos dele. Isso também aconteceu com praticamente todos os outros personagens do jogo (exceto o Batman), mas o Coringa foi o que mais me chateou, porque nos vídeos pré-renderizados dava pra ver que os desenvolvedores do game deram muita atenção aos olhos dele, fazendo com que realmente parecessem os olhos de um maníaco.

"Por que tão sério?"

Espantalho: A aparência em si do personagem não se parece nem um pouco com a de um espantalho. Parece mais com a versão em boneco de pano do Chucky, usando um capuz. Mas ainda assim foi muito bem elaborada, e eu admito que todas as vezes que olhos para aquelas mãos cheias de seringas eu fico com arrepios. Além disso, eu achei que as três partes do jogo em que o Batman começa a alucinar por causa do gás do medo do Espantalho foram absolutamente brilhantes, dando uma visão mais interessante sobre o passado do homem morcego. Das três, nenhuma supera a segunda alucinação, que mostra o momento em que Bruce Wayne perdeu os pais. A única coisa que eu tenho a reclamar é que, depois de um tempo, fugir da visão do Espantalho começa a ficar chato e repetitivo, mas felizmente esses trechos acabaram antes que isso chegasse a ser um problema.

Isso parece qualquer coisa, menos um espantalho.

Hera Venenosa: Sem nenhum elogio aqui. Eu acho a Hera Venenosa um dos supervilões mais chatos do Batman. Ela não tem personalidade, e basicamente seus poderes consistem mais em seduzir o Batman (exceto nesse jogo) do que realmente controlar plantas. E o pior é que, a partir da segunda metade do jogo, ela praticamente passa a ser um inimigo tão importante quanto o Coringa, ainda mais porque suas plantas começam a invadir a ilha de Arkham inteira. Na minha opinião, ela devia receber só uma referência rápida, para que depois o jogador voltasse a se concentrar no Coringa.

Com vocês, a personagem mais sem graça de todo o jogo.

Arlequina: Sem muito a comentar aqui, a Arlequina não é um supervilão que eu conheça muito bem. O único comentário que eu tenho a fazer aqui é: por que diabos os desenvolvedores resolveram mudar o uniforma dela completamente? Quer dizer, eu sei que o uniforme original não era exatamente algo discreto que uma pessoa má usaria, mas nem por isso os desenvolvedores deveriam fazer isso! Quem eles pensam que são, a DC Comics?! Ah, é, a DC participou do processo de desenvolvimento do jogo… OK, esqueçam esse último comentário.

Meh, eu não conheço muito a Arlequina, então nada a comentar.

Charada: Na verdade, o Charada não aparece no jogo. Você só ouve a voz dele falando no comunicador do Batman, depois de ter hackeado o sistema de bat-walkie-talkie de pulso, ou seja lá qual for o nome daquilo. Mas ainda assim, ele é uma presença constante no jogo, mais até do que o Coringa, simplesmente porque ele deixou vários troféus e enigmas espalhados por todos o cenário do jogo, e encontrá-los não só rende pontos de experiência, como também desbloqueia alguns mini-games extras, e troféus de personagens.

O Charada não aparece, mas a caça aos troféus e enigmas é um ponto forte do jogo.

Bane: Nem todo mundo se lembra desse cara. Ele é um cara vestido com uma fantasia de luta livre espanhola, que fica tão grande e forte quanto o Hulk depois de receber uma espécie de produto químico no sangue a partir de um reservatório que ele carrega nas costas. Uma grande parte da história do jogo se baseia nisso, aliás (eu vou fazer algumas revelações sobre a trama aqui, então se você não quer que eu estrague a surpresa pule para o próximo parágrafo agora), pois depois de algum tempo no jogo você descobre que o Coringa está querendo desenvolver uma versão alternativa desse produto químico, que dispensa reservatório e só precisa ser injetada no sangue uma vez, em vez de constantemente. Com isso, ele começa a desenvolver super-capangas, com os quais o Batman também deve lutar. No fim do jogo (eu vou revelar muito da trama aqui, estou falando sério), o Coringa usa a fórmula em si mesmo, e se transforma numa criatura gigante e violenta. Agora, eu gostaria de perguntar uma coisa para você, leitor: sou só eu, ou projetos de supersoldados parecem ser algo extremamente idiota? Quer dizer, vamos supor por um momento que o Coringa conseguisse matar o Batman depois de se transformar num Hulk sorridente. O que ele faria a respeito depois? ficaria daquele jeito para comer, tomar banho e dormir? Me diga no que diabos aquilo seria útil fora das batalhas? E já que tocamos no assunto, o Coringa não se tocou que todos aqueles capangas gigantes e fortes poderiam muito bem resolver parar de obedecer ordem, esmagar todos os supervilões e simplesmente sair pelo mundo causando o caos por conta própria? Ah, faça-me o favor.

"Mim grande e esquisito."

Victor Zsasz e Killer Croc: Quem diabos são esses dois?! Certo, eu procurei o nome dos dois no Google, e aparentemente a participação deles no Universo do Batman já é de longa data, mas eu nunca ouvi falar neles! Sinceramente, eu acho que teria sido muito mais interessante colocar algum outro supervilão mais conhecido para substituir os dois. Como o Duas-Caras! Ou o Pinguim! Bem, de qualquer maneira, vamos falar da participação dos dois no jogo. Em primeiro lugar, o Zsasz é praticamente inútil para a história. Ele só serve como uma espécie de tutorial. Na primeira vez em que aparece, é para te ensinar técnicas de furtividade. Na segunda, é para você aprender a atirar bat-bumerangues enquanto está escondido atrás de uma parede. Ele é totalmente dispensável, e não tem nenhuma verdadeira necessidade para estar na história do jogo. Agora, falando do Killer Croc: ele é uma absoluta decepção. Logo no primeiro minuto de jogo, ele já é retratado como um vilão extremamente perigoso, com o qual você deveria tomar muito cuidado. E isso continua sendo constantemente repetido durante seu progresso no jogo, geralmente pelo Coringa. Mas aí você finalmente vai parar nos esgotos (onde, aliás, o Killer Croc aparentemente come o Espantalho), onde ele está, e precisa passar por centenas de metros andando em placas de madeira flutuando acima da água, sendo que o Killer Croc aparece inúmeras vezes nesse meio tempo. E sabe como você o enfrenta nessas horas? Segure-se firme na sua cadeira, você não vai acreditar. Você joga um bat-bumerangue, para que ele perca o equilíbrio e caia de volta na água. Será possível que não tinha uma maneira mais criativa e menos estúpida de enfrentá-lo? E se realmente é tão simples assim, por que diabos passar meio jogo falando do cara como se fosse o inimigo mais difícil do jogo inteiro? Oh, bem.

Edit: Tá! Eu admito que foi burrice minha não me informar a respeito do Killer Croc! Agora pelo amor de Deus parem de ficar comentando sobre como eu sou lesado!

Meh, muito água com açúcar, não tem nada de especial.

Ele pode parecer perigoso, mas na verdade é um completo tonto.

Outros vilões: Repetindo o que eu disse no parágrafo anterior, por que diabos não tem Pinguim ou Duas-Caras, caramba?! Eles são ótimos vilões! De qualquer forma, a maioria dos supervilões que não aparecem no jogo pelo menos recebem uma referência rápida, seja por citações do Coringa (ele fala sobre o Duas-Caras, além de, quando o jogo acaba, o Batman ir embora para enfrentar esse vilão em um assalto a banco), seja por enigmas do Charada (praticamente todos os vilões recebem referências nos enigmas: o Senhor Gelado, a Mulher-Gato, o Scarface. O único que eu não encontrei foi o Pinguim). Mas eu continuo achando que alguns trechos do jogo poderiam muito bem ter sido trocados por outros com esses vilões que foram deixados de lado. Por exemplo, eu adoraria ver uma luta contra a Mulher-Gato no telhado da mansão de Arkham. Ou uma luta contra o Senhor Gelado perto dos esgotos, onde ele congelaria a água dos canos para atirar em você. Diga se isso tem ou não tem potencial!

Por que diabos não tem Pinguim?!

Praticamente não há mais nada para se falar sobre o jogo, exceto talvez o fato de que há vários bat-apetrechos para você brincar: bat-bumerangue, bat-explosivos, bat-garra, bat-decodificador-de-frequência, bat-corda (para atravessar buracos longos), bat-bumerangue sônico, bat-bumerangue teleguiado, etc.

E a bat-capa.

Além disso, o combate do jogo é muito bem explorado. É dividido em duas partes: combate corpo-a-corpo e predador invisível. O primeiro introduz uma nova tecnologia chamada Free-flow combat, que permite que as lutas fiquem naturais e fluidas, fazendo com que bater em um capanga realmente passe a sensação que deveria, em vez de ser só apertar um botão para que o Batman fique sambando na frente dos inimigos até que eles caiam sem explicação. Aqui, tente entender melhor do que eu estou falando:

Depois, no modo predador invisível, o foco é ser furtivo. Esse modo de luta geralmente ocorre quando você precisa enfrentar oponentes que têm armas de fogo, o que resultaria em um Batman virando queijo suíço, caso você tentasse o combate corpo-a-corpo. Dê uma olhada:

Além disso, existe a visão de detetive, que permite que você veja inimigos atrás de paredes, e encontre objetos interativos mais facilmente:

Hum, algo me diz que é melhor eu não entrar nessa sala...

Então, terminando a análise, acho que tudo que você devia saber é que é um ótimo jogo, que apesar de fazer algumas escolhas de adversários ruins, vale a pena ser jogado inteiro. Aproveite.

Frase Final: Ta-na-na-na-na-na-na-na ta-na-na-na-na-na-na-na Bat-Maaaaan!!!

  1. Bruno Gabriel

    Diego, tenho que fazer algumas considerações: o PhysX foi, na verdade, inventado pela AGEIA que recentemente foi adquirida pela NVidia, ou seja, não foi a NVidia quem o inventou.

    Hoje em dia também são praticamente inexistentes essas “placas de física”, pois elas são placas com chips especializados nos cálculos físicos necessários para os jogos, porém a grande maioria das placas de vídeo atuais já suportam os PhysX muito melhor do que as plaquinhas de física que eram feita pela própria AGEIA.
    E você não precisa gastar 800 reais para comprar uma placa que rode os efeitos de física decentemente. Com meros 400 reais já é possível pensar numa 9600GT que tem desempenho infimamente menor que uma 9800GT, sendo esta encontrada pelo preço médio de 550 reais isso sem contar as placas da AMD que tem custo x benefício maior.

    E mais uma coisa: não é o PhysX que é pesado, mas sim o número de cálculos que o jogo exige que o PhysX faça, ou seja, quem determina o “peso” que o PhysX vai ter num jogo é a produtora do mesmo e não a NVidia. As produtoras dos games é que procuram aproveitar o máximo desse recurso em seus jogos e, obviamente, placas mais potentes são mais capazes de executar esses cálculos do que as “menos capazes”. E sobre o que você disse que eles não têm muito o que melhorar na qualidade dos gráficos, é aí que você se engana. Com a nova série AMD ATI Radeon HD 5000 que suportam o DirectX 11 juntamente com o Windows 7 eles têm sim o que avançar; e outra, melhorar qualidade de texturas e tudo mais não é algo tão “impeditivo” assim…

    Pronto, no mais, é só!😀

  2. Lucas Lago

    Muito ruim esse review. Infelizmente é o que acontece com quem não entende nada de Batman! Onde já se viu falar que o croc nao é famoso?????!?!?! Killer croc é um dos principais inimigos do batman. Além disso no gibi a batalha de Batman com Croc é uma das principais! E o jogo está muito fiel ao gibi Asilo Arkham!

    E a roupa do Espantalho SEMPRE foi esta.. só fizeram algumas pequenas alterações e que ficaram muito boas e mais reais!

    • diegolomac

      Ok, hora de me justificar. Eu não disse que o Killer Croc não é famoso, eu disse que não o conhecia, e eu sou o tipo de pessoa que não se aprofundou muito no universo do Batman. Mas o que eu estou querendo dizer é que um jogo deve ser feito para poder agradar às pessoas, e não ao grupo restrito de quem conhece tudo que acontece nas histórias do Batman. Quanto ao seu segundo comentário, eu não disse em momento algum que não fosse fiel às histórias, e na minha opinião isso não faz diferença, pois algo funcionar como história em quadrinhos qualifica essa coisa como funcional em uma forma de mídia em papel com várias imagens estáticas. Isso não significa que funcione como uma mídia eletrônica interativa. Ou seja, o jogo tem seus próprios méritos, e não devia ser comparado aos quadrinhos. Quanto ao comentário sobre o Espantalho, eu posso não conhecer muito de Batman, mas sei muito bem como era o Espantalho, e isso não são pequenas alterações: http://www.superherotimes.com/assets/newsimages/BatmanHush3Scarecrow.jpg

  3. CACETE, daonde que deviam botar um ”vilão mais famoso” no lugar do croc!! ele é o vilão mais legal ( e talvez o mais mortal) do morcegão! sim, eles poderiam ter botado o duas-caras ou talvez o sr. gelado, mais não no lugar do croc, talvez no do szasz então.

    o pinguim como não podia deixar de ser, tem sua referência no game em um enigma, na mansão arkham, vc acha o chapéu e alguns guarda-chuvas dele em uma vitrine em um longo corredor, talvez vc não tenha achado.

    • diegolomac

      Ok, eu falei besteira quanto ao croc, eu admito. Mas de qualquer forma, eles passam o jogo inteiro criando expectativas pra batalha contra o cara, e no fim acaba sendo um corredor longo e chato onde você aperta um botão toda vez que o croc aparece pra jogar ele de volta na água. UM. MÍSERO. BOTÃO.

      E sim, aparecem as roupas do pinguim. Também aparecem praticamente as roupas de todos os vilões que não participam do jogo. Minha reclamação é de ele não participar, e não de não haver uma referência.

  4. Olha q analise bem ruim essa tua deus o livre. Me diz tu queria lutar corpo a corpo com o CROC ???? :S Detalhe ele acerta um batrang no pescoço aonde tinha um colar q dava choque nele, e assim ele caia na água . PORRA não conhecer esse personagem é ser muito abobado, pq eu q não sei muito sobre Batman sei quem ele é…

    A parte do PhysX não tenho nem o q falar vai choraminga por não ter PC bom

    Mas a analise teve pontos altos, mas tens q melhor .

    • diegolomac

      Pronto, depois de praticamente uma dúzia de comentários reclamando sobre o que eu falei do Killer Croc, eu editei o texto e coloquei uma observação. Contentes? E em relação ao Physx, no fim chega a ser estranho, porque depois eu joguei a versão para Xbox 360, que nem mesmo TEM Physx. O que só prova que aquilo foi colocado no jogo para a NVidia se mostrar.

  5. CONCORDO ELES PODIAM TER COLOCADO MAIS VILAO CONHECIDO NO JOGO

  6. diego vou falar oque eu tabn acho , eu acho q a hera venenosa nao e nenhuma personagen chata pelo o contrario ela e uma das mais fortes vilãs de batman eu discordo hera e uma otima vilan e muito sedutora e por isso e muito mais ela e be importante

  1. Pingback: Análise de Batman: Arkham Asylum Publicada « Diego Machado: A recompensa está no fazer.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: