Outros Acontecimentos Sobre Games em 2010

Muita gente me mandou e-mails, mensagens de MSN ou simplesmente falou na minha frente que eu deixei muito de lado na minha lista de melhores jogos de 2010. É verdade, o ano passado teve outros acontecimentos muito interessantes. Então para complementar o post anterior (e porque eu não pensei em nada melhor para escrever) aí vai mais uma lista. Dessa vez não só de melhores, mas também de piores, de coisas importantes, e de anúncios que deixaram todos os gamers animados.

Melhor Jogo de Corrida

Basicamente essa foi a categoria que me fez escrever outro post inteiro, então é a única que eu realmente quero debater. Me deixe dizer isso logo de cara: eu tenho um problema com jogos de corrida. Eu os adoro, mas sou horrível neles. Minha pouca habilidade com jogos de corrida só é eclipsada no quanto eu sou ruim em jogos de luta como Tekken e Street Fighter. Mas eu me esforço em conseguir progredir nos jogos de corrida, geralmente só parando depois de várias horas, que é quando começa a ficar repetitivo para mim. Mas o caso é: 2010 teve bons jogos de corrida?

Bem, sim e não. O gênero teve casos muito estranhos nesse ano que passou. Os três principais lançamentos foram Split/Second: Velocity da Disney Interactive Studios, Blur, e Need for Speed: Hot Pursuit (e Gran Turismo 5 se você tiver um PS3, mas eu não tenho como dar minha opinião nele).

Cada um deles tinha grandes idéias e potencial, balanceados por uma execução terrível. Split/Second combinava carros e explosões, algo que todo fã de ação sempre sonha. No entanto, ganhar nas corridas consiste mais em sorte do que habilidade, porque por mais que você tome a dianteira, nada garante que um dos inimigos não exploda um prédio na sua cara e te mande para último lugar quando você estava apenas a 10 metros da linha de chegada.

Blur era um pouco mais estilizado e visualmente bem interessante, mas possuía poderes para derrotar os outros carros, sofrendo do mesmo problema de Split/Second, algo que eu gosto de chamar de Síndrome de Mario Kart: poderes que podem aleijar totalmente o adversário e mudar totalmente o rumo da corrida em uma fração de segundo.

Need for Speed: Hot Pursuit também possuía poderes, mas eram bem balanceados e não chegavam a causar um grande problema. Além disso, a habilidade de jogar como o policial adicionou toda um novo estilo ao jogo. Tinha tudo para ser a minha escolha para o ano.

MAS!

Por acaso você já ouviu falar em “Rubber Band AI”?

Por exemplo: Você está jogando um game de futebol. Seu time está 5 gols na frente, tem 3 minutos faltando para o fim do jogo, e você está com a bola. Sua vitória é garantida, certo?

Nnnnão. Porque de repente o time adversário controlado pelo computador é duas vezes mais rápido que você, sabe para quem você vai passar a bola, para onde essa pessoa está correndo, e manda o time inteiro marcar esse cara. Ou então um jogador adversário consegue interceptar a bola no meio do ar e dá um chute do outro lado do campo, fazendo um gol que parece simplesmente um milagre. Isso se repete, e antes que você perceba você perdeu o que pensava ser uma vitória certa.

Por que isso acontece? Quanto mais você esticar um elástico,quanto mais ele puxa. É a mesma idéia aqui, e de onde vem o termo “Rubber Band AI” (Inteligência Artificial de Elástico). Basicamente, quanto melhor que você está em um jogo, o jogo se torna mais difícil, para continuar sendo um desafio. Isso não é evoluir a dificuldade de acordo com o seu progresso no jogo, isso é fazer com que o nível em que você está fique dez vezes mais difícil instantaneamente por nenhuma razão. Em outras palavras, o computador não ficou melhor, ele simplesmente trapaceou. Esse tipo de coisa é feita para tentar aumentar a dificuldade, mas é simplesmente irritante.

E isso acontece em NFS Hot Pursuit. Aliás, isso acontece em todo Need for Speed que eu me lembre. você pode estar cinco quilômetros à frente de todo mundo, correndo na velocidade máxima e usando nitro, para ver um adversário te ultrapassando com o dobro da sua velocidade. Que inferno.

Então todos os 3 jogos acabam sendo os melhores de 2010, porque nenhum realmente se destaca.

Melhor Anúncio de Lançamento

Ficamos sabendo ao longo do ano de muitos jogos legais que seriam lançados em 2011 ou 2012. Deveria ser difícil escolher qual desses anúncios deixou todos mais ansiosos. Batman: Arkham City, Portal 2, The Elder Scrolls V: Skyrim, Dragon Age 2, NeverDead, From Dust, Bioshock Infinite, Mass Effect 3, Uncharted 3, etc.

Mas todos sabemos que um único anúncio merece destaque. Um jogo que ficou 12 anos em produção, trocando de engine repetidamente, até a empresa falir em 2009, para o jogo ser recolhido por outra empresa que finalmente o terminou.

Eu estou falando, é claro, de Duke Nukem Forever. Mas me deixe bem claro que se esse jogo não for o Santo Graal dos videogames e a cura para pelo menos três tipos de câncer, nada vai valer toda essa espera.

Maior Revolução em Hardware

Com o sucesso do Nintendo Wii, era só uma questão de tempo até que a Sony e a Microsoft também tentassem ganhar dinheiro com sensores de movimento, babando por um pedaço do mercado dos chamados “jogadores casuais”. E assim vieram o Playstation Move e o Kinect. E me deixe dizer que o Playstation Move não é nada além de deprimente. Ele é simplesmente o controle do Wii com uma bolinha brilhante na ponta. Não é possível ficar mais plagiado do que isso.

O Kinect por outro lado é uma verdadeira revolução. É verdade que eu nunca vou querer que os jogos tenham que obrigatoriamente ser desse estilo daqui para a frente, mas a existência de jogos do tipo que o Kinect oferece é interessante o suficiente para manter minha atenção. Mas eu não vou me interessar em comprar um Kinect enquanto não lançarem aquele jogo do Star Wars que foi anunciado na E3.

Maior Desapontamento

Epic Mickey foi muito esperado durante o ano todo, desde que vazaram na internet alguns desenhos de uma Disneylândia steampunk e de um Pateta andróide. Infelizmente, quando o jogo foi lançado, pudemos ver que todo aquele visual foi praticamente jogado fora, para que o jogo ficasse mais apropriado para crianças. E isso sem levar em conta que a câmera é tão ruim que é inevitável fazer com que Mickey caia de precipícios repetidamente.

Jogo Mais Repetitivo

Star Wars: The Force Unleashed 2 leva o prêmio sem problemas. Esse jogo consegue quebrar as leis básicas da física. Ele é incrivelmente repetitivo (seguindo a política de que se algo é divertido de ser feito, então é divertido de ser feito 20 vezes) e ainda assim consegue ser incrivelmente curto. Eu nem achava que isso fosse possível! Quer dizer, tem menos de 6 horas! Como eles conseguiram?!

Jogo Menos Original

Darksiders consegue levar o prêmio aqui sem esforço (assim como todas as idéias foram feitas sem esforço). O protagonista é o Arthas de Warcraft, a história veio de God of War, o estilo de jogo veio de Zelda (junto com o bumerangue, a arma de correntes, o cavalo, o quebra-cabeça de refletir o raio de luz com espelhos, e até mesmo a fada que dá dicas), o monstro pendurado no teto é um plágio descarado do Barnacle dos jogo Half-Life, e a arma que atira portais azuis e laranjas veio de… bem, Portal. E mesmo com todos os elementos de jogos de sucesso, ele ainda conseguiu o feito de fazer com que controlar um dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse seja chato. Meus parabéns, seu grande plagiador descarado.

Jogo Mais Subestimado

Eu ainda não entendi por que Vanquish foi tão ignorado. Sim, o jogo é de tiro em primeira pessoa baseado em buscar cobertura, algo que já ficou repetitivo até a exaustão ultimamente. Sim, ele é curto. Mas o combate frenético, a habilidade de deslizar pelo meio do combate, e os momentos que me faziam berrar “UAU eu não acredito q isso aconteceu!” eram tão interessantes que eu não me importava. Os tiroteios em pontes desmoronando, trens de ponta-cabeça acima de mim em alta velocidade, prédios caindo aos pedaços na minha direção, robôs gigantes lançando milhões de mísseis a cada minuto, e por aí vai. Sinceramente, se você não jogou isso, vá experimentar. É divertido.

Melhor MMORPG

Eu vou mencionar este mais porque foi importante, porque eu nunca jogo MMORPGs. A expansão de World of Warcraft chamada Cataclysm agora possibilita mais vários dias da sua vida para serem perdidos com missões repetitivas! Porque você não está jogando agora? Sua guilda te aguarda!

Bem, eu acho que esses são todos os que faltavam. Se você tiver mais alguma coisa para colocar na lista, sinta-se livre para escrever nos comentários, ou me mande um e-mail a respeito e eu posso fazer um terceiro post se tiver bastante material.

Deuses, eu estou com fome.

Sobre diegolomac

O cara que fez o blog que você provavelmente está lendo agora.

Publicado em 17/01/2011, em Análises, Ciência e Tecnologia, Games, Mundo e marcado como , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: