Os Melhores Jogos de 2010

Ahhn… oi.

Yep, eu estou vivo. Foi uma época bem movimentada essa. Eu tive que lidar com burocracia pra me demitir do trabalho, escrevi meu relatório de estágio, fiz três provas de primeira fase de vestibular e duas de segunda fase, o meu cursinho ainda vai se estender até janeiro, e eu passei a maior parte do meu tempo livre jogando.

O que levou à situação interessante de que agora eu tenho vários jogos para escrever análises, mas normalmente prefiro jogar eles mais ainda do que escrever alguma coisa. Mas que se dane, hora de levantar a bunda do sofá, sentar na frente do computador e fazer alguma coisa menos inútil. Então é com prazer que eu apresento:

OS MELHORES JOGOS DE 2010

2010 foi um ótimo ano para a indústria de games. 2009 tinha sido completamente patético, com um número de jogos decentes tão baixo que mal era preciso se esforçar para lembra quais eram os melhores. Basicamente a culpa foi da crise econômica mundial, visto que a maioria das empresas era considerada como muito bem-sucedida se só precisasse demitir um ônibus inteiro de funcionários. Com esses cortes, vários jogos foram terminados às pressas e sem polimento (vide, por exemplo, The Saboteur), e outros foram completamente cancelados. Então é bom ver que estamos passando por uma recuperação forte.

Obs: Basicamente todos os jogos que eu colocarei aqui ainda não tiveram uma análise escrita. Talvez eu faça uma futuramente, mas não espere com muita fé por isso.

Melhor RPG

Não houve muitos jogos esse ano que realmente pudessem se chamar de RPGs. Ultimamente, as produtoras de jogos acham que se o personagem tiver que carregar vários itens, ou gastar experiência em novas habilidades, eles podem colocar “RPG” na capa do jogo em letras garrafais como estratégia de marketing. Não é assim que funciona.

Este ano, os competidores foram Fallout: New Vegas, Mass Effect 2 e a expansão Awakening para o jogo Dragon Age: Origins. Ambos são bons, no entanto, Awakening tem uma duração de, digamos, 15 horas no máximo, enquanto que New Vegas é tão gigantesco que se você realmente gosta de RPGs, pode alcançar a marca de 200 horas de jogo e ainda assim encontrar coisas para fazer. É verdade que o jogo tem mais bugs do que o estômago de um tamanduá, e você precisa de acesso à internet/Xbox Live/PSN para baixar um patch que resolva todos, mas ainda assim o jogo é bom o suficiente para compensar por essas falhas. Isso sem contar que ele retorna para a franquia Fallout o humor que não havia em Fallout 3, e a adição do modo hardcore (que faz com que você precise comer, beber e dormir frequentemente) deixa o jogo bem interessante. Mass Effect 2 também é muito bom, mas New Vegas consegue explorar mais as possibilidades de um jogo RPG. Então nessa categoria o grande vencedor é Fallout: New Vegas.

Melhor Jogo de Terror

Os três lançamentos do gênero este ano foram Silent Hill: Shattered Memories para Wii, Amnesia: The Dark Descent para PC e Alan Wake para Xbox 360. Shattered Memories é desclassificado logo de cara porque embora não seja um jogo ruim, ele não consegue asustar ninguém. Aparentemente chegamos ao ponto onde a franquia Silent Hill começou a perder o jeito.

Se você tiver tanto um Xbox 360 quanto um PC e quiser saber qual dos outros dois jogos comprar, tudo vai depender do seu gosto. Alan Wake tem uma história consistente, personagens carismáticos, um suspense muito interessante, mas embora ele dê sim algum medo, é razoavelmente fácil de suportar. Como eu não sou o tipo de masoquista que quer o coração pulando pela garganta o tempo inteiro, eu prefiro esse.

Amnesia: The Dark Descent, por outro lado, quer te assustar até a última gota. Ele já foi aclamado como o jogo mais assustador dos últimos anos, e com razão. Mas por outro lado é uma produção independente, o que significa que a empresa não teve o orçamento para  criar uma grande história ou vários personagens. Mas as llimitações técnicas podem ajudar muito no processo criativo quando se vai criar um jogo, e Amnesia é um bom exemplo disso.

Então neste caso temos um empate entre Alan Wake e Amnesia: The Dark Descent.

Melhor Jogo de Tiro em Primeira Pessoa

OK, eu já vou dizer isso logo de cara: os jogos de FPS de 2010 foram uma droga. Não houve nada que realmente merecesse total atenção. Bioshock 2 foi uma continuação feita apenas para conseguir tanto dinheiro quanto fosse possível dos fãs, Singularity foi um plágio descarado e medíocre de Bioshock, Battlefield: Bad Company 2 é frustrante pela inteligência artificial que consegue te acertar a dois quilômetros de distância mesmo que você esteja dentro de uma nuvem de poeira e com uma parede na sua frente, Call of Duty: Black Ops é marrom demais e com um drama idiota e história previsível, Medal of Honor fala da Guerra do Afeganistão (e ninguém no mundo não está de saco cheio de falar disso), e Halo Reach

Humm…

É, Halo Reach é provavelmente o vencedor. É o último jogo Halo feito pela Bungie (a partir de agora eles serão feitos pela própria Microsoft, e eu espero uma queda de qualidade), e é basicamente todas as partes boas dos Halos anteriores combinadas, com um ou dois elementos a mais e visual melhorado. Se você nunca jogou Halo, este jogo é uma boa forma de começar. E se você já jogou, provavelmente já comprou este.

Melhor Sandbox

Veja bem, o melhor sandbox não é necessariamente o melhor jogo do gênero Sandbox, é apenas o jogo que explora melhor as possibilidades desse gênero: a capacidade de andar para todos os lados fazendo o que você quiser, enquanto a história espera você amadurecer, se comportar e fazer o que devia.

Os últimos anos praticamente sufocaram com tantos jogos Sandbox, ao ponto que eu não conseguiria lembrar de todos para colocar aqui, então vamos falar apenas que o vencedor é Just Cause 2, porque poucos jogos se focam tanto assim em vadiar, ainda mais quando você tem um terreno de 1000 km² para ficar vadiando.

Melhor Hack-and-Slash

Para os que não sabem, o Hack’n’Slash (traduzido para português como Lute-e-Fatie) é o gênero à la God of War, onde você esmurra e corta todos os inimigos que aparecem na sua frente, ocasionalmente encontrando itens que te permitem fazer isso com ainda mais eficiência.

Visto que o próprio exemplo que eu dei para definir o gênero foi God of War, é meio difícil ignorar que o grande vencedor é God of War 3. Mas como ele é um exclusivo para PS3, nem todos poderão experimentar. Como este ano choveram cópias e plágios do God of War, eu diria que o melhor para jogar caso você tenha um Xbox 360 seria Castlevania: Lords of Shadow. É bonito ao ponto de eu sentir o processador do meu Xbox 360 rangendo com o esforço, é interessante, os monstros são legais, o único verdadeiro problema é que só tem uma única arma, então variedade não é o maior forte no combate.

Melhor Jogo de Estratégia

Leitores frequentes sabem que eu cresci jogando RTS (Real-Time Strategy) como Warcraft III e Age of Mithology. Este ano, os fãs de RTS foram agraciados com Starcraft II, um jogo que já estavam esperando há muitos anos. E um bom jogo também, que consegue ter uma história cativante e até mesmo momentos de Point’n’Click entre uma missão e outra, onde o jogo fica mais pessoal e menos frio e calculista. O grande problema é que houve um bug no jogo que fazia com que alguns computadores quebrassem por superaquecimento do processador, o que não é o tipo de coisa que faz o game ficar muito bem no mercado.

Outra grande continuação este ano foi Civilization V, que melhorou muitos dos aspectos dos jogos anteriores da franquia, com a mudança mais visível sendo a mudança do cenário do jogo para que em vez de quadrados, as casas do tabuleiro fossem hexágonos, permitindo muitas novas estratégias e formas de combate. É verdade que a Inteligência Artificial do jogo é um tanto quanto idiota, mas isso não o impede de ser bom.

Melhor Jogo de Plataforma

Super Mario Galaxy 2.

Ah, qual é, como se isso precisasse de justificativa! Qualquer jogo de plataforma competindo com um jogo do Mario vai perder. Super Mario Galaxy foi praticamente o melhor jogo para Wii que existiu, e a continuação é basicamente mais do mesmo, só que mais bonito e com o Yoshi.

Por outro lado, se você não tiver um Wii, ou se você simplesmente quiser um jogo para um console decente (ai!) eu recomendaria Prince of Persia: The Forgotten Sands. O combate é repetitivo, o jogo foi claramente feito para tentar lucrar com o sucesso do filme, mas as partes de plataforma são incrivelmente divertidas.

Melhor Aliviador de Stress

As pessoas geralmente jogam para se divertir, para esquecer um pouco dos problemas do dia-a-dia, e para desestressarem. Um bom jogo para aliviar o stress geralmente tem dois extremos: ou ele é completamente zen, do tipo que poderia ser usado para relaxar em um spa, ou ele te deixa esmurrar multidões de monstros com facilidade, para poder descontar toda a sua raiva dentro do jogo e depois sair de casa amando o mundo. Como não tem graça falar do primeiro tipo, vamos falar do segundo.

Os grandes lançamentos desse tipo em 2010 foram Dead Rising 2 e Splatterhouse. Ambos se focam em violência brutal, mas embora Splatterhouse seja mais psicótico e viciado em sangue, Dead Rising 2 leva o troféu, por entender que não basta fazer genocídio em um jogo desses, ele deve ser um genocídio engraçado. E qualquer jogo onde você pode combinar um remo de caiaque com duas motosserras para poder remar  no meio de uma horda de zumbis vai ganhar o prêmio de psicótico mais criativo do ano.

Melhor Jogo de Música

Jogos de música são um pouco difíceis de julgar, porque no fim tudo se resume ao gosto de cada pessoa pelas músicas dentro deles. Mas este ano, o campeão sem dúvida é Rock Band 3, por inserir o modo profissional, onde o controle tem o exato número de casa e cordas de uma guitarra comum, significando que se você consegue tocar uma música no maior nível de dificuldade com a guitarra profissional, você também consegue tocá-la em uma guitarra normal.

É interessante porque leva esses jogos a um novo patamar: antes eles eram feitos para quem gostava de guitarras mas não se achava capaz de jamais aprender. Agora, ele também pode ser um professor, ensinando guitarra até mesmo para os completos principiantes. Parabéns, Harmonix, grande sacada a de vocês.

Melhor Jogo Indie

2010 foi o ano de uma grande surpresa: Minecraft, um jogo indie que não tem história, é feio pra burro, não tem um objetivo definido, e foi feito por uma única pessoa, se tornou um dos jogos mais populares. E como se não bastasse, o desenvolvedor chegou a ganhar 250 mil doláres por dia com as vendas do jogo. Por DIA! Ele fez o jogo sozinho e sem um software de alta tecnologia, no que é que vai gastar todo esse dinheiro, em sorvete? E isso sem contar que o jogo esteve o ano inteiro em versão Alfa, só entrou agora em versão Beta, e ainda assim já foi comprado por todo o mundo e a sua tia.

Eu chuto que o jogo é tão popular por causa da capacidade de construir praticamente tudo que te dê na telha, como a cidade de Minas Tirith:

Melhor Continuação de Franquia

Não é segredo que eu acho a franquia Assassin’s Creed a melhor de toda a história dos videogames, então é bom saber que Assassin’s Creed: Brotherhood só adiciona ainda mais para isso.  Seja pelo sistema de combate mais fluido e consistente, pelas várias máquinas de Leonardo da Vinci que você pode usar, pela gigantesca cidade de Roma para ser explorada, pela utilização de cavalos no combate,  ou pela balestra finalmente ser uma arma do arsenal (finalmente mesmo, ela já aparecia nos trailers do primeiro Assassin’s Creed e ainda assim nunca esteve nos jogos), Brotherhood me lembra porque eu amo essa franquia. E a adição de um modo multiplayer online também é interessante.

Maior Redenção de Franquia

Leitores frequentes sabem que eu nunca me simpatizei com a franquia Fable. Eu parei de jogar The Lost Chapters na metade por ficar entediado demais, e ainda estou lutando com meus instintos para ver se consigo terminar Fable II. Então imagine a minha surpresa ao jogar Fable III e não só não detestar, como achar que era bom! Fable 3 pega as partes que eram interessantes dos outros jogos e deixa mais polidas, pega as partes inúteis e dá um sentido para elas, e descarta totalmente o que era irritante, como o sistema de menus. Sem contar que a história é cativante, é bom ver que o protagonista finalmente tem uma voz, e o mordomo dublado por John Cleese faz meu conceito pelo jogo subir mais uns 30 pontos.

Melhor Pacote de Expansão

Um pacote de expansão geralmente costuma ser algo decepcionante, feito para estender o jogo por mais duas ou três horas, como que para estimular um estado de negação do jogador, se recusando a aceitar que tudo já acabou. A expansão Undead Nightmare para o jogo Red Dead Redemption não é desse tipo. Na verdade, eu diria que nunca vi uma expansão desse tipo. Ela praticamente funciona como um jogo próprio (e tem a duração de um também) e consegue misturar cowboys do Velho Oeste com o Apocalipse Zumbi, o que é o auge do que um verdadeiro nerd poderia querer. Se você tem Red Dead Redemption, saiba que por melhor que o jogo seja, você não irá aproveitá-lo ao máximo sem esse pacote de expansão.

O que me leva direto a…

Melhor Jogo do Ano

Red Dead Redemption. Definitivamente. Ele não tem a melhor história, o melhor visual, nem o melhor uso de seu sandbox. Mas cada um desses elementos são aplicados com tanta maestria, que o jogo acaba sendo mais do que a soma de suas partes. É impossível não se apegar a John Marston em sua busca por redenção, tentando limpar seu passado criminoso para se reunir novamente com sua família.

Então aí está, a lista dos melhores jogos de 2010. Se você estava em dúvida de o que comprar para jogar nas férias, isso pode ser um bom guia. Um bom Natal e Ano Novo para vocês, porque é quase certeza que eu vou viajar e não terei acesso a um computador com internet até janeiro.

Tchau.

Anúncios

Sobre diegolomac

O cara que fez o blog que você provavelmente está lendo agora.

Publicado em 24/12/2010, em Análises, Games e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Bruno Gabriel

    Eu certamente não li toda a postagem, pelo simples fato de não gostar muito do tipo de análise que meu amigo Diego faz sobre os games. Aliás, esse tipo de coisa é algo muito pessoal mesmo, pois cada um gosta de um estilo de jogo e espera coisas de cada jogo que adquire. Uns gostam de jogabilidade, outros gostam de gráficos perfeitos, terceiros gostam de “dominar” no jogo e por aí vai.

    Eu só discordo do Diego quando ele coloca Starcraft II e Civilization V sob o mesmo tipo de jogo. De fato, ambos são grandes jogos de estratégia. Só achei um tanto “injusta” a comparação de um jogo TBS (Turn Based Strategy – Estratégia Baseada em Turnos) com um RTS (Real-Time Strategy – Estratégia em Tempo Real). Achei legal o fato de Civilization V ter sido escolhido (ainda mais por achar que jogos assim não combinam com o Diego), uma vez que tenho este jogo aqui e perco horas da minha vida quase todos os dias na frente dele, só acho que esse tipo de comparação não é muito gentil. Enfim, é só uma opinião.

    Quanto ao melhor FPS, há controvérsias e me pergunto se você realmente teve tempo suficiente para testar todos esses jogos por um período considerado satisfatório para que se possa tirar conclusões a respeito. E isso vale pra todos e não só os FPS.

    E, eu sei que você não gosta, Diego, mas faltou colocar sobre o melhor jogo de Corrida de 2010. =D

    • diegolomac

      Basicamente, eu coloquei Civ V no mesmo modo de jogo de Starcraft II porque não fazer isso seria injusto. Sim, Civilization é um ótimo jogo de Turn-Based Strategy, mas é o ÚNICO jogo de Turn-Based Strategy no mercado atual. Então é injusto dizer que ele é o melhor jogo de estratégia baseada em turnos, porque a única razão pela qual ele ganha é porque ninguém mais competiu.

      Sim, pode ficar tranquilo, eu joguei todos os jogos de FPS que estão nesta lista. Eu zerei Black Ops e Halo Reach, e todos os FPS que eu não zerei (assim como todos os jogos nesta lista que eu não zerei) foram jogados até além da metade, para eu me garantir uma opinião formada. Na verdade, a única coisa da lista que eu não joguei foi Mario Galaxy 2 por não ter um Wii, mas eu já joguei Mario Galaxy 1 uma vez, sei que o 2 é mais do mesmo, e sei que quando um jogo de plataforma do Mario for ruim o Universo vai entrar em colapso.

      E quanto ao melhor jogo de corrida… bem, vou fazer um post extra a respeito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: