Arquivo mensal: agosto 2010

Análise de Assassin’s Creed 2 Publicada

HA! Aposto que você não esperava por essa, certo? Um post nos útlimos momentos do mês? HAHAHAHAHA!

Enfim.

Leia aqui.

E Tenho Dito

Quando esse blog está com poucos posts, as chances são altas de que eu estou provavelmente perdendo tempo assistindo vídeos no youtube, de PC Siqueira a trailers de filmes. Está praticamente virando um problema. Minha consciência fala comigo mais ou menos assim (no estilo “anjo em um ombro, diabo no outro”):

Eu Bom: Hey, vamos escrever umas análises para o blog!
Eu Mau: Não! Vamos assistir maspoxavida! Mwa ha ha ha!
EU: Humm, não sei… eu meio que preciso escrever alguma coisa, só publiquei dois posts nesse mês…
Eu Mau: Mas pode aparecer um novo trailer para o novo filme do Tron a qualquer momento na internet!
EU: Uuh, tou dentro.
Eu Bom: Maldito seja, Eu Mau! Você ganhou dessa vez!

Então de qualquer forma, eu fico fuçando muitos trailers de filmes, até mesmo os velhos, que eu nunca assisti. E consegui fazer algumas obvservações. Por exemplo, eu posso confirmar que se eu tivesse visto o trailer dos filmes Evil Dead antes de realmente assistir um deles, não teria gastado duas horas da minha vida vendo algo que só é engraçado por ser incrivelmente idiota. E eu também percebi que todos os trailers de filmes desde o começo dos tempos foram narrados pelo mesmo cara.

Todo e qualquer filme, seja romance, ação, comédia, teve o trailer narrado por esse cara. O cara que soa como se tivesse passado os últimos trinta anos fumando cigarros dentro de uma chaminé industrial. Sabe, AQUELE cara. Ele até fez a voz no trailer do Evil Dead que eu vi; ele até está fazendo os trailers de filmes de terror de merda! Com os montes de filmes que saem todos os meses, pulando desesperadamente no meio do mercado para conseguir atenção, esse cara provavelmente teve uma vida REALMENTE ocupada. Eu aposto que ele até já deve ter narrado alguns trailers de filmes pornô…

“NESTE VERÃO, MONICA MATTOS SERÁ POSSUÍDA VIOLENTAMENTE POR UM ORNITORRINCO DE MOTOCICLETA! E ISSO É BASICAMENTE TUDO QUE ACONTECE!”

Eu queria ter conhecido esse cara. Não só porque ele com certeza tem contatos com todo mundo que é associado com cinema em todo o planeta. Eu queria saber o que o motiva, o que o faz narrar todos os trailers com tanta determinação. Eu queria dar uma caixa de charutos para ele de Natal.

Como trailers não têm créditos (a não ser a respeito do filme em si), eu não consegui saber o nome dele logo de cara. Eu achei que uma voz tão incrível assim precisaria ter um nome igualmente incrível, como Don Razputin Alvares, ou Ian Wellington Mc’Awesome, ou algo assim. Ele seria um homem de três metros de altura, com uma barba grossa, troncudo como uma geladeira, com dois olhos brilhantes, vestido com uma capa preta, com um ventilador embutido para efeito dramático, e usando uma bengala com uma caveira de urso no fim. Nós sairíamos juntos e ele impressionaria o público parando bandidos só com o poder de sua voz, enquanto eu fico com todas as garotas tímidas demais para se aproximarem dele.

A melhor coisa a respeito de ter o Don/Ian como amigo seria que ele consegue fazer qualquer frase soar interessante. Por exemplo:

EU: O que você vai querer, Don?
DON: EU ACHO QUE VOU ESCOLHER A SALADA DE BATATA!
EU: Droga, o garçom desmaiou de novo. Da próxima vez peça só um copo d’água.
DON: GARÇONS FRESCOS MALDITOS!
(todas as mulheres no quarteirão ficam instantaneamente apaixonadas)

Sendo o cara extremamente ocupado que eu sou, eu resolvi reservar um pouco de tempo para pesquisar mais sobre esse cara. Eu fiz pesquisas no Google! Eu folheei livros extremamente grossos sobre o assunto! Eu dancei conga com os tigres encantados de Marte! E finalmente descobri! Leia o resto deste post

Projeto Icarus – Bioshock Infinite

É interessante como você pode se tornar algo que sempre se detestou se não tomar cuidado. Me deixe te explicar o conceito de um fanboy: fanboys idolatram um livro/filme/jogo/etc a um ponto extremo, mas chegam a levar isso a um patamar doentio. E não existe nada pior do que escutar um fanboy na hora de fazer uma continuação para a sua obra. Fanboys são idiotas que colocam a obra em um pedestal, e nunca, NUNCA vão ficar felizes com nenhuma alteração que você faça. Eles querem segurar a obra e fazer carinho dar banho e impedir que ela seja machucada por esse mundo feio e malvado. O quanto antes você calar a boca deles, mais feliz você ficará.

Do que eu estava falando? Ah sim, o novo Bioshock.

A produtora Irrational Games, que nunca consegue decidir o próprio nome direito, anunciou há algum tempo sobre o Projeto Icarus, o nome em código para o novo game que eles estavam desenvolvendo. Agora, foi revelado que esse jogo é na verdade um terceiro Bioshock, Bioshock Infinite, que dessa vez não se passa na cidade submersa de Rapture, mas sim na cidade voadora de Columbia. Leia o resto deste post

Ataque dos Corbynes

Depois de cerca de um mês e nenhuma visita de mim mesmo do futuro, eu estou oficialmente descartando a teoria de que meu celular consegue receber ligações de uma máquina do tempo. Se você não sabe do que eu estou falando, leia isto.

Mas o caso é que, eu estava no cursinho outro dia, e como não conseguia encontrar forças para prestar atenção na aula, meu olhar foi dirigido para algumas dezenas de celulares nas mãos e bolsos de outros alunos da sala. E eu acabei reparando que eram iguais ao meu.

Meu celular é daqueles desenvolvidos especificamente para adolescentes metidos à besta que gostam de aparelhos moderninhos mas não são ricos o suficiente para comprar um iPhone. Se eu realmente precisasse descrever eu diria algo na faixa de “parece que o iPhone foi esmurrado algumas vezes e caiu dentro de uma lata de tinta”. Ele tem um formato torto na lateral, e algumas partas possuem cores vibrantes, sendo que as do meu são amarelas, e me deixam tão envergonhado em público que eu me esforcei para cobrir a maior parte dele possível com preto. Tem uma tela touch-screen e vários menus e botões coloridos dentro dela. Não é a coisa mais empolgante do universo, eu sei.

E ainda assim, tinha algo estranhamente hipnótico em ver várias pessoas mexendo nos celulares, e eu estava lutando contra uma vontade irresistível de tirar o meu do bolso e arriscar ser pego pelo professor. E eu tenho certeza que todos na sala estavam sentindo algo parecido, porque a cada minuto que passava eu via mais e mais celulares. E o que é pior, TODOS ERAM IGUAIS AO MEU.

"Toda resistência é inútil!"

Eu fui para a Bienal do Livro nesse fim de semana, e havia pessoas com isso lá também. Também tem outros com colegas da minha escola antiga que eu encontrei outro dia. E quando eu fui obrigado a me apresentar para o exército (fui dispensado, e convido todos os examinadores a morrerem de derrame) eu vi mais alguns com os outros caras que foram convocados para os exames. Foi aí que eu comecei a ficar desconfiado, então um dia eu fui olhar a caixa na minha estante, anotei o nome do modelo e guardei na minha memória sem fundo para fatos inúteis.

“Samsung Corby” é o nome. Um nome  bem estúpido se você me perguntar, parece o que um papagaio diria se fosse estrangulado no fundo de uma piscina. A Samsung é uma companhia mundialmente famosa. Você sabe o que a maioria das companhias mundialmente famosas têm? Websites!

Então eu acessei a página e procurei mais informações, incluindo uma dizendo que o produto foi especialmente desenvolvido para agradar à população mais jovem e descolada.

Então eu suponho que poderia simplesmente ser uma tentativa mal-interpretada por mim de atingir um público extremamente específico.

Poderia ser.

Ou.

OU.

Você já assistiu “Ataque dos Invasores de Corpos”? Aquele que eu também não assisti (assisti o remake recente), com um monte de atores que eu não conheço? Nele, uma praga alienígena é espalhada por uma plantinha alienígena que uma pessoa deu para outra pessoa de presente. E se em vez de uma plantinha, fosse um metal alienígena, possivelmente espalhado em uma região bem grande? E se alguém, talvez hipnotizado pelos raios alienígenas, coletasse esse metal e fizesse, digamos, chips de telefone com ele?

Explicaria muito. Explicaria como tem pelo menos um em todos os lugares que eu vou. Explicaria por que eles parecem estranhamente magnéticos. (epifania) Gasp! E explicaria por que os alunos da minha sala que eu mencionei no começo desse post começaram a agir como uns bostas metidos alguns minutos mais tarde! Eles estavam possuídos pelo celular alienígena!

Bem, para mim o assunto está resolvido. Eu vou começar a carregar a maior marreta possível toda vez que sair de casa, e se eu vir um desses celulares eu vou reduzir a coisa maligna a cacos. Se vocês pudessem fazer a mesma coisa eu ficaria incrivelmente grato, assim como o dono do celular. O futuro vai te lembrar como um patriota, mesmo que te encham de porrada no presente!

Certo, de volta ao trabalho.

%d blogueiros gostam disto: