Scribblenauts: Um Conceito Simples, Uma Idéia Genial

Eu não tenho um Nintendo DS, mas tenho que achar uma maneira de jogar esse game.

Depois do grande sucesso de seus primeiros projetos para o Nintendo DS, a equipe da 5TH Cell resolveu pensar grande. Capitaneada pelo designer e co-fundador da empresa, Jeremiah Slaczka, a equipe desenvolveu um conceito bem original para o ambicioso Scribblenauts: um jogo de plataforma com quebra-cabeças que devem ser solucionados com o uso de palavras escritas na tela.

A mecânica se divide entre as duas telas do DS. A superior traz os indicadores importantes, e a inferior é onde a ação realmente acontece, determinada pelo toque da caneta. O objetivo é fazer com que o protagonista colete todos os itens chamados de Starites e para isto, basta que o jogador escreva o equipamento que quer que o protagonista use, e ele será criado.

Claro que obstáculos irão atrapalhar a jornada de Maxwell e aí entra o uso das palavras. Se uma Starite estiver no alto, basta por exemplo, você pode escrever “escada” para que uma apareça na tela e possa ser utilizada. E em português mesmo, já que o jogo tem suporte ao nosso idioma. A idéia é que ele reconheça inúmeros tipos de objetos, bichos, armas, instrumentos, fenômenos da natureza e até mesmo celebridades e personalidades históricas.

O pacote inicial traz mais de 200 estágios, com diferentes níveis de dificuldade que podem pedir não só a criação de itens, mas a interação entre vários deles. Tudo funciona como uma grande corrida contra o tempo para fechar a aventura, que às vezes pode limitar o número de palavras experimentadas ou coisas evocadas. São dois tipos básicos de fases: as voltadas para puzzles, como criar ferramentas para abrir uma caixa, ou de ação, como em um jogo de plataforma tradicional em que objetos devem ser criados para ultrapassar abismos ou espinhos. E também há um editor de fases bastante completo que, inclusive, permite a troca de material por Wi-Fi.

Dêem só uma olhada nisso:

E esse aqui mostra que realmente dá pra colocar tudo no jogo, até mesmo criar o duelo Deus skatista com escopeta vs. Cthulhu:

Esse aqui não tem nada bombástico, mas mostra como o game pode ter diferentes soluções:

Pelo que eu li, os designers ficaram meses só consultando enciclopédias e dicionários, para garantir que todos os substantivos conhecidos estariam no game. Se você entende de programação, deve estar se perguntando: “Mas como diabos eles conseguiram programar cada palavra sem explodir o processador do DS?” Bem, a resposta é simples: programação orientada a objeto. Todas as palavras foram organizadas em grupos. Por exemplo, se uma palavra é um mamífero, isso quer dizer que quando o animal é morto e colocado numa panela em cima de uma fogueira ele vira o item carne. E por aí vai.

Mas o interessante mesmo são as histórias de quem já experimentou o jogo. Um integrante de um site de jogos estava testando o jogo na feira da E3, e escreveu plumbob (aquele cristal verde do The Sims), mas o jogo disse que não conhecia a palavra. Imediatamente, o designer do jogo perguntou para ele o que significava aquilo. Assim que recebeu a explicação, ele pegou o celular, mandou um SMS e disse “Ok, estará na versão final”.

Outra história: um integrante de outro site de games estava também testando o jogo. Ele estava usando soluções básicas para as fases, como escadas, copos d’água, etc. Mas então, ele chegou em uma fase onde precisava passar por um bando de robôs-zumbis para alcançar o fim da fase. Ele tenou lança-chamas, escopetas, e nada funcionava. Frustrado, ele escreveu máquina do tempo. Imediatamente ela apareceu. Impressionado, ele fez o personagem entrar na máquina, e descobriu que podia ir para o passado ou o futuro. Quando escolheu passado, o cenário mudou, e dinossauros começaram a andar ao redor dele. Assim que ele descobriu que podia montá-los, pegou novamente a máquina do tempo, voltou para o presente e pisoteou os robôs-zumbis.

Você leu esse parágrafo acima? Leu mesmo? Ele voltou no tempo, montou num dinossauro e o usou para pisotear robôs-zumbis! Se isso não é um game onde tudo é possível, eu não sei o que é.

Alguém tem um Nintendo DS aí?

Anúncios

Sobre diegolomac

O cara que fez o blog que você provavelmente está lendo agora.

Publicado em 17/08/2009, em Ciência e Tecnologia, Games, Vídeos da Internet e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Gorila Assassino

    Muito interessante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: